terça-feira, 9 de abril de 2013

PAC – CIDADES HISTÓRICAS: um caminho!


Luciano Capistrano –  luciano.capistrano@natal.rn.gov.br
Historiador/SEMURB – Professor/Escola Estadual Myriam Coeli
 http://1.bp.blogspot.com/-ktaO2vxA1Ec/T9TjRHty8eI/AAAAAAAABQY/z2KJR8H0wuI/s1600/natal_rn11.jpg            A inclusão de Natal entre as cidades aptas ao financiamento do Programa PAC – Cidades Históricas, aponta um novo tempo,  quanto a preservação de nosso Patrimônio Cultural. Primeiro destacamos a articulação, muito positiva, de diversos órgãos: SEMURB, IPHAN, UFRN, SECTUR.
            Em pouco mais de um mês, esses órgãos capitaneados pela Prefeitura Municipal do Natal, com o envolvimento do prefeito Carlos Eduardo Alves, apresentaram um conjunto de projetos de intervenção no perímetro histórico, delimitado pelo IPHAN. Projetos que uma vez aprovados, valorizaram nosso Patrimônio, hoje, muitos deles ameaçados pelo tempo e por uma visão economicista contraria a Preservação do Centro Histórico.
            Natal, Cidade do Sol, vem ao longo do tempo se  transformado num dos grandes destinos turístico, atraindo visitantes estrangeiros e de outras regiões do Brasil. Esta vocação alicerçada, principalmente, no binômio praia e sol, floresceu com a construção da Via Costeira e o fortalecimento de uma considerável rede hoteleira. Claro, amigo leitor, fomos presenteados por belos cartões postais, cito apenas alguns: Morro do Careca, Parque das Dunas, nossas praias urbanas, enfim, a natureza foi generosa com o solo da capital Potiguar.
            A aprovação dessas ações tem um grande significado, pois Natal desde 2012 tem seu Centro Histórico reconhecido pelo IPHAN, faz  importante, então, dar visibilidade a uma Natal “escondida”, para alguns, num conjunto arquitetônico/cultural, construído ao longo do tempo, por isso testemunha da evolução urbana da cidade de Câmara Cascudo. Avancemos na construção de uma atividade turística, agregando, os “Lugares de Memória” ao já consolidado, “turismo de praia”.
            Esta construção de uma nova mentalidade de política turística, não acontece de forma fácil, sem visões contrarias. É fundamental desenvolver políticas de Educação Patrimonial voltadas para a população em geral e para os operadores do turismo. Neste item da EDUCAÇÃO PATRIMONIAL, ressalta-se algumas ações desenvolvidas no âmbito da Prefeitura Municipal do Natal, através da SEMURB, são: O Circuito Histórico Cidade Alta/Ribeira e Alecrim, bairros Históricos, elaboração de Cartilhas, Livros e a organização de um Portal, dedicados a essa temática, ação que consistem na valorização do Patrimônio Histórico. Aproveitemos a realização da Copa do Mundo, utilizando o jargão do “legado da copa”, para fazer de Natal não apenas um roteiro de sol e mar, e, sim um roteiro de Sol, mar e Patrimônio Cultural.
                        A cidade de Djalma Maranhão -, o grande prefeito dos folguedos populares, possui um rico Patrimônio Cultural, seus becos e travessas, suas edificações centenárias, suas comidas típicas, suas danças, sua gente - , pulsa raízes dos diversos povos formadores do seu povo. Aqui encontramos sinais da presença europeia, africana e indígena. Valorizemos nossas tradições.
            O PAC – Cidades Históricas aponta um rumo, nos dar um norte, demonstrar ser possível desenvolver a cidade, gerar emprego e renda, sem descaracterizar o Centro Histórico. Resultado positivo, do PAC – CIDADES HISTÓRICAS, já materializou quando se intensifica o diálogo entre  o IPHAN, a Prefeitura, o Governo Estadual e a UFRN, sobre a construção de uma política de Preservação do Patrimônio Cultural da terra de Xarias e Canguleiros.

Fonte do texto: http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/pac-cidades-hist-ricas-um-caminho
Fonte da imagem:  http://1.bp.blogspot.com/-ktaO2vxA1Ec/T9TjRHty8eI/AAAAAAAABQY/z2KJR8H0wuI/s1600/natal_rn11.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário