terça-feira, 26 de novembro de 2013

No Rio Grande do Norte, agricultor que ganha 600 reais por mês, banca dois filhos na faculdade

Agricultor “José Orlando Balbino” e família
Agricultor “José Orlando Balbino” e família
A belíssima história do agricultor “José Orlando Balbino” enche os olhos de lágrimas de quem sabe o que é ter filhos em uma universidade, e principalmente quando o estudante está longe da família, aumentando os custos com transporte, alimentação e moradia, sendo a única fonte de renda… nada mais que 600 reais/mês, pouco menos que o salário mínimo dos brasileiros.
Seu Balbino é agricultor, mas nesse momento difícil que passa o semi-árido seridoense com a seca, seu sustento ficou mais limitado ainda, já que o trabalho se limita à luta de gado, na fazenda Umari, a 25 km de Caicó. E para tentar conseguir um extra, sua esposa, Maria das Graças Dantas, cria galinhas e alguns caprinos. E foi da venda de dois desses animais que a família conseguiu comprar o anel de formatura para um dos filhos, que já se formou.
Cleidson Dantas Balbino, é um exemplo a ser seguido por um filho, tem apenas 24 anos e se formou pela UERN, em Física, e todas as suas despesas foram custeadas pelos pais, já que o jovem não conseguia trabalhar em face dos dois períodos de aulas (manhã / tarde), detalhe… foram mais de quatro anos indo e voltando a Pau dos Ferros. E para a história ficar mais bonita ainda, o garoto não abandonou sua raiz, fez questão de mostrar o pai aos amigos, e com muito orgulho o convidou para ser o padrinho de diplomação.
“Sinto muito orgulho do meu pai, ele é honesto, trabalhador e tudo que ganha é para o sustento da família, vou devolver a ele tudo que fez por mim, tenho certeza! Nunca vou esquecer que ele e minha mãe venderam dois animais e juntaram mais um pouquinho para completar o dinheiro de comprar o meu anel de formatura, que custou 900 reais”, completou o rapaz.”
A história não acabou, com um dos filhos já formado recentemente, chegou a vez da filha, Cleide Alane Dantas Balbino, 22 anos, que iniciou o curso de letras pela UERN, também na cidade de Pau dos Ferros, e como tudo recomeçou, o casal pega os 150 semanais que recebe, faz a feira com 90 reais e guarda o restante, 60 reais. No fim do mês envia para a filha os 240 rais que juntou nas quatro semanas do mês, e para o dinheiro ser suficiente, a jovem pratica a rotina do irmão, almoça no restaurante popular em Pau dos Ferros.
A história do casal José Orlando e Maria das Graças leva qualquer um a raciocinar que a felicidade não está em volta da materialidade, mas sim das conquistas intelectuais e da decência do ser humano, com isso o comportamento exemplar praticado pelo casal devia ser seguido por pessoas que passam por cima de conceitos básicos da família, que é o amor, e isso não se tem com dinheiro, mas com doutrina e respeito.

Fonte: blog Jair Sampaio

Adeus a Manoca Barreto

Yuno Silva e Tádzio França fizeram um belo texto homenageando Manoca na Tribuna do Norte desta terça-feira.
“Impossível falar em guitarra no Rio Grande do Norte sem citar Manoca Barreto, difícil também não ficar chocado com a notícia de sua morte na manhã dessa segunda-feira. Guitarrista e compositor, artista de primeira grandeza reconhecido por sua dedicação e compromisso com a música, tutor de toda uma geração de instrumentistas virtuosos, perfeccionista e mestre (literalmente) do improviso, Manoca deixa saudades e uma legião de admiradores. A coleção de adjetivos para definir a personalidade de João Barreto de Medeiros Filho (1964-2013) é infinita, uma lista encabeçada por palavras como companheiro, doce, tranquilo; e se “toda unanimidade é burra”, como diz o velho ditado, Manoca era a exceção: amigo de todos, com sua discrição característica, aglutinava e aproximava as pessoas.
DivulgaçãoTutor de toda uma geração de músicos, Manoca é lembrado pela Escola de Música, que decretou luto de três dias
Encontrado morto dentro de casa, por volta das 7h de ontem, as informações que começaram a circular rapidamente nas redes sociais pegou de surpresa alunos, ex-alunos, parceiros, amigos e amigos do músico. Há informações de que o músico deixou uma carta para a família.
Porém, a causa e as circunstâncias de seu falecimento, ainda não divulgadas oficialmente, é o detalhe que menos interessa neste momento de comoção: estão todos atônitos e para muitos a ‘ficha ainda não caiu’.
A Escola de Música da UFRN declarou luto de três dias para homenagear o músico, que também era professor da Universidade. Manoca não tinha filhos, e deixa a esposa Maria Helena Guerra Maranhão Barreto, pianista e também professora da EMUFRN.

Copiado de http://blogdobg.com.br/

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

RN é o quinto em acidente de motos

- Publicado no Blog do Robson Pires
20131122-100638.jpgO Rio Grande do Norte é o quinto estado do país em acidentes mortais envolvendo motociclistas. De acordo com o último relatório do chamado “Mapa da Violência”, produzido pelo Centro Brasileiro de Estudos Latino-americanos (Cebela), divulgado nesta semana, 56,6% das mortes nas vias potiguares envolvem pessoas que estavam numa motocicleta ou ciclomotor.
Além disso, entre 2001 e 2011, período em análise, o estado teve um aumento de 42,7% nas mortes em todos os tipos de acidente no trânsito. Só em 2011 foram 595 óbitos. Isso quer dizer que a média chegou a 18,6 mortes por cada 100 mil habitantes, um crescimento de 25,6% em relação ao observado no início da década passada.

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Juíza decide que Anorc continuará usando parque de exposições no RN

Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, em Parnamirim, palco da Festa do Boi (Foto: Divulgação/Anorc) Do G1 RN
Parque de Exposições Aristófanes Fernandes,
em Parnamirim (Foto: Divulgação/Anorc)
A juíza Marta Suzi Peixoto Paiva Linard, da Vara da Fazenda Pública de Parnamirim, na Grande Natal, negou nesta terça-feira (19) pedido feito pelo Ministério Público para que fosse declarada a nulidade do convênio celebrado entre o Governo do Estado do Rio Grande do Norte e a Associação Norte-Riograndense de Criadores. Com a decisão, a Anorc continua podendo fazer uso do Parque de Exposições Aristófanes Fernandes, que fica em Parnamirim. O local é palco da tradicional Festa do Boi e recentemente foi escolhido como novo endereço do Carnatal, micareta que acontecerá de 5 a 7 de dezembro.
Na liminar, o MP alegou a existência de irregularidades em convênios celebrados entre o Estado e a associação e argumentou, também, que a Anorc estaria se utilizando de servidores estaduais e obtendo lucros com a exploração de um bem público. O MP levou em conta a análise dos convênios e os livros contábeis da Anorc. O trabalho, segundo o órgão ministerial, apontou irregularidades na prestação de contas dos recursos arrecadados pela associação no período de 2006 a 2009.
Contudo, em sua decisão, a magistrada notou que a utilização do parque tem sido objeto de convênios sucessivamente celebrados desde 1990, o que descaracteriza a urgência do provimento requerido.
Para a juíza, segundo a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça, o MP limitou-se a mencionar que a continuidade da utilização do bem público por associação particular, em proveito desta, consolidaria no agravamento “de uma irregularidade há anos perpetrada, agravada pela importância financeira que reproduz, principalmente diante da possível negociação do bem público com vistas à realização do Carnatal, no próximo mês de dezembro”.
Quanto à tal alegação, a juíza constatou que há nos autos cópia de acordo celebrado entre os réus e a empresa Destaque Propaganda e Promoções, referente ao uso do bem público mencionado, com contraprestação pecuniária em favor do Estado do Rio Grande do Norte, o que acaba por enfraquecer a urgência alegada.
O presidente da Anorc, Marcos Aurélio de Sá, explica que em nenhum momento a associação busca lucros com o uso do parque. "Somos uma entidade sem fins lucrativos e toda promoção de eventos sob nossa administração tem as receitas empregadas na conservação, manutenção e expansão do parque", garante.

Policiais do RN se capacitam para atuar como batedores durante a Copa


PMs fazem treinamento visando trabalho na Copa do Mundo (Foto: Elber Caldas)PMs vão escoltar delegações dos países que virão ao Mundial.
Treinamento vai até o dia 29 de novembro, em Natal.

Do G1 RN

Policiais Militares do Rio Grande do Norte passam por um treinamento de capacitação para batedores, que irão atuar na Copa do Mundo de 2014. Ao todo, 30 policiais irão passar pelo curso, que visa preparar os agentes para realizar escolta de delegações e autoridades dos países que virão ao país durante o Mundial do próximo ano. O curso -  que começou no dia 11 de novembro e vai até o dia 29 - é uma iniciativa da Secretaria da Estadual de Grande Eventos (Sege) e do Comando de Policiamento Rodoviário Estadual (CPRE).
De acordo com o major Raimundo Florêncio Silva Júnior, responsável pelo treinamento, o curso terá participação de homens da Polícia Rodoviária Federal, Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam) e do próprio CPRE. As aulas acontecem no 1º Distrito de Polícia Rodoviária Estadual, em Natal.
Segundo o major, será criada uma central de escolta que vai atuar durante a Copa do Mundo, auxiliando as delegações que estiverem em Natal. "Vamos criar essa central de escolta na própria Arena das Dunas. Toda a parte de deslocamento das delegações e autoridades será feita e monitorada por essa equipe que está em treinamento", disse Florêncio.
Ainda de acordo com ele, a atuação do grupo vai ocorrer tanto durante as partidas quanto durante os treinamentos e atividades extras das delegações, que deverão ser solicitadas previamente "Cada delegação terá uma pessoa responsável por fazer esse contato com a equipe. O deslocamento para jogos, treinamentos e até mesmo possíveis passeios das delegações que vierem a Natal serão feitas por essa equipe".
Após o curso, os policiais deverão participar dos eventos-teste da Arena das Dunas, que irão acontecer antes da Copa do Mundo. Natal vai receber quatro partidas da Copa de 2014, sendo que o segundo jogo do Mundial, no dia 13 de junho, acontece na capital do RN.

Chuvas não foram suficientes para encher os mananciais potiguares e número de cidades em colapso chegou a 13 em outubro.

Do G1 RN
Reservatório Itans, que atende a região Seridó, está com nível de 18,2% da capacidade total (Foto: Sidney Silva)O número de municípios do Rio Grande do Norte em colapso no abastecimento d'água caiu para nove no mês de novembro. Em outubro esse número chegou a 13. A informação foi confirmada pela Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) nesta quarta-feira (20). Os municípios que estão em colapso continuam com a cobrança de faturas suspensa pela Caern, que atende 153 das 167 cidades do estado.
As cidades com serviços paralisados estão concentradas nas regiões Oeste e Seridó do estado. Atualmente sofrem com o colapso no abastecimento os municípios de Água Nova, João Dias, Pilões, São Francisco do Oeste, Antônio Martins, Ipueira, Equador, Carnaúba dos Dantas e São José do Seridó.
O colapso acontece quando a Caern admite que não tem condições de abastecer a cidade e suspende a emissão de faturas para os moradores do município.
O município de Jucurutu, na região Oeste do Rio Grande do Norte, voltou a ser abastecido pela Caern no dia 11 deste mês. O fornecimento de água havia sido interrompido em outubro.
A seca tem sido a principal responsável pela redução no abastecimento das cidades. Com a ausência de chuvas, o nível dos reservatórios no interior do estado baixou e o abastecimento ficou inviável.

Sistema criado pelo governo prejudicou potencial eólico do RN

- Publicado no Blog do Robson Pires
energia eolica RNPara melhor compreender o resultado do leilão de energia A-3/2013, realizado ontem (18) pelo Governo Federal, onde foram vencedores 39 parques eólicos e nenhum deles situado no Rio Grande do Norte faz-se necessário tomar conhecimento do início do programa eólico no Brasil. Desde o ano de 2009, com a participação da fonte eólica na matriz elétrica brasileira, especialistas do setor já apontavam o grande potencial eólico do RN e os resultados dos leilões demonstraram a liderança potiguar, ultrapassando, inclusive, o Ceará que havia iniciado o seu programa de forma pioneira no país.
O modelo adotado naquela ocasião foi o de promover os leilões de geração para em seguida efetuar os leilões de transmissão, fazendo com que, respeitados os prazos preconizados nos seus respectivos editais, houvesse uma convergência entre a geração e transmissão sem colocar em risco o escoamento da energia através do SIN- Sistema Interligado Nacional. Para tanto, o Governo Federal lançou mão de um instrumento denominado ICG’S- instalações de transmissão de interesse exclusivo das Centrais de Geração para conexão compartilhada, que havia sido criado, inicialmente, para atender projetos de geração de energia através de PCH- Pequena Central Hidrelétrica e Biomassa.
Na prática, a escolha do Governo Federal não trouxe resultados positivos, pois o que se viu foi um total desencontro entre a geração e a transmissão, levando na maioria dos casos a conclusão dos parques eólicos sem que os mesmos pudessem escoar a energia elétrica a ser gerada.
Os primeiros lotes de transmissão no Rio Grande do Norte ofertados em leilões tiveram como vencedora a estatal CHESF que não concluiu as obras nos prazos previstos – cenário esse repetido em outros estados – causando um enorme desgaste ao programa eólico, principalmente no que tange a sua credibilidade.

sábado, 16 de novembro de 2013

PRESIDENTE CAFÉ FILHO NA CAPA DA REVISTA TIME EM 1954

Nascido no Rio Grande do Norte, João Fernandes Campos Café Filho foi presidente do Brasil entre 24/08/1954 e 08/11/1955, quando foi deposto, sendo o único potiguar e o primeiro protestante a ocupar a presidência da República.
Sua primeira experiência política ocorreu em 1923, quando candidatou-se ao cargo de vereador, em Natal. Derrotado, candidatou-se novamente em 1928, quando mais uma vez perdeu a disputa, em meio a denúncias de fraude.
Em 1934, já sob o governo constitucional de Getúlio Vargas, que assumira o poder em 1930, Café Filho foi eleito deputado federal, cargo que ocupou novamente em 1945, na primeira eleição realizada após o fim do Estado Novo.
Em 1950 foi indicado para vice-presidência na chapa de Getúlio Vargas como parte do acordo feito por Adhemar para apoiar Vargas ao cargo de presidente. Com o suicídio de Getúlio em 1954, assumiu a Presidência, sendo seu governo marcante pelas medidas econômicas liberais comandadas pelo economista Eugênio Gudin.
Em novembro de 1955 foi afastado da presidência por motivos de saúde, assumindo em seu lugar o presidente da Câmara, Carlos Luz, este deposto por tentar impedir a posse do presidente eleito Juscelino Kubitschek.
Café Filho ainda tentou reassumir o cargo, mas foi vetado por Henrique Lott e outros generais que o apoiavam. Após a presidência, foi ministro do Tribunal de Contas da Guanabara durante toda a década de 1960.
Café Filho foi goleiro do Alecrim Futebol Clube em Natal. Educado na Primeira Igreja Presbiteriana de Natal, foi também o primeiro presidente protestante do Brasil.

Copiado de https://www.facebook.com/photo.php?fbid=473943776057821&set=a.353051334813733.1073741831.352427821542751&type=1&theater