quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Ministério da Cultura vira parceiro do projeto de restauração da Fortaleza dos Reis Magos



O projeto arquitetônico e paisagístico da Fortaleza dos Reis Magos foi apresentado nesta quarta-feira (24) à ministra da Cultura, Marta Suplicy, durante audiência em Brasília. A governadora Rosalba Ciarlini e a secretária Extraordinária para Assuntos da Cultura, Isaura Rosado, detalharam todo o plano de restauração do Forte, orçado em quase R$ 3 milhões, aos técnicos do Ministério que participaram da reunião.
Diante da explanação do projeto, a ministra Marta assumiu o compromisso de estabelecer uma parceria do Ministério da Cultura com o Governo do Estado para dar agilidade à liberação dos recursos financeiros e viabilizar o início da restauração.  “O projeto da governadora é uma beleza. O Forte já é lindo, mas a implantação do projeto o tornará ainda mais atrativo, porque ele deixa de ser apenas uma estrutura física bonita para ser um atrativo cultural”, disse.

FONTE: http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/ministerio-da-cultura-vira-parceiro-do-projeto-de-restauracao-da-fortaleza-dos-reis-magos/

domingo, 21 de outubro de 2012

Seca destrói bases da agropecuária no RN

No semiárido potiguar, a seca está destruindo as bases da agropecuária. Os reservatórios estão saturados e o manancial de água disponível é insuficiente. Sem pasto, os registros de morte do gado bovino aumentaram e houve redução na oferta de emprego. Este é o cenário no sertão – ainda mais devastador do que há quatro meses quando a TRIBUNA DO NORTE publicou a série de reportagens “Caminhos da Seca”, depois de percorrer 12 municípios do RN.
Nos últimos quatro meses, dirigentes, tanto da Federação da Agricultura do Rio Grande do Norte (Faern) quanto da Associação Norte-rio-grandense de Criadores (Anorc) viajaram pelo sertão, ouvindo depoimentos e colhendo dados nos municípios mais afetados pela seca. Além de relatos desoladores, localizaram cemitérios de animais; constataram a grave escassez de água e ouviram reclamações de que a lentidão das ações governamentais mata a pecuária, uma atividade econômica pioneira, que envolve diretamente mais de 120 mil pessoas.
Em meio à caatinga, os criadores e agricultores reclamam de problemas na oferta de água, com colapso, inclusive, na zona urbana de alguns municípios; escassez de alimento para os rebanhos e da burocracia na liberação do crédito rural emergencial. No Estado, 138 municípios estão em estado de emergência, decretado em abril deste ano, e prorrogado por mais 180 dias, no último dia 10.
A redução da produtividade é uma realidade em todos os municípios percorridos pela Anorc e Faern, nos últimos meses. Em setembro, os dirigentes da Anorc, por exemplo, fizeram um trajeto de Lajes a Caicó e identificaram, ouvindo as associações e pecuaristas, que a produção de leite deverá cair entre 30% e 60%, até o final do ano. Essa retração já produziu efeitos negativos no mapa do emprego, no sertão potiguar. Entre janeiro e julho deste ano, 1.609 postos de trabalho foram fechados no RN. Isso somente, na agropecuária.
Os dados são do Caged – Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. O mapa da evolução do emprego mostra que, na atividade agropecuária, há um grande descompasso: no ano, o setor contratou 4.357 pessoas e demitiu 5.966 – uma retração de 10,95%, em relação a dezembro de 2011. “O setor está mais pobre, está demitindo e não pode contratar no mesmo ritmo”, afirmou o presidente da Faern, José Álvares Vieira.

FONTE: http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/seca-destroi-bases-da-agropecuaria-no-rn/
CLIQUE AQUI e confira a matéria completa

Cultivo de palma é saída para o semiárido na estiagem


Um volumoso rico em energia e capaz de substituir o milho, mas que é pouco cultivado no Rio Grande do Norte, a palma forrageira é apontada como opção para nutrir os rebanhos ovinocaprino e bovino em períodos de estiagem. Para estimular pecuaristas a adotarem esse tipo de ração, o Sebrae no Rio Grande do Norte promoveu palestra neste sábado (20) sobre o os custos e rendimentos do cultivo intensivo da palma, no Espaço Empreendedor, na Festa do Boi.
A experiência do produtor Alexandre Medeiros foi apresentada aos participantes da capacitação. O agrônomo tem uma propriedade no município de Angicos, na região Central do estado, onde a seca castiga os pastos, e resolveu apostar no cultivo da palma forrageira de forma adensada e com irrigação. Os testes duraram 22 anos, mas o pecuarista chegou a uma forma de manejo adequada dos quatro hectares plantados. Ele consegue obter anualmente mais de 600 toneladas por hectare. Tudo isso utilizando pouca água.
“Com uma adubação favorável e um bom manejo consegue-se alta produtividade. Vejo a palma como uma das principais alternativas de produção de alimentos para o semiárido e uma opção para o pequeno produtor”, sugere Alexandre Medeiros. É com o farelo da palma (desidratada) ou com planta em estado natural que o produtor alimenta dois mil caprinos e 150 cabeças de gado bovino.

FONTE: http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/cultivo-de-palma-e-saida-para-o-semiarido-na-estiagem/

“Caminho dos Queijos” é opção para a região Seridó


A Tribuna do Norte também a vocação natural do Seridó para a pecuária leiteira se constitui numa relevante oportunidade econômica para os municípios da região. A expertise dos seridoenses na fabricação de queijos de coalho e de manteiga potencializa a criação de um roteiro, com foco na Copa da FIFA 2014, que levaria turistas a uma experiência sensorial com esses produtos lácteos, típicos do sertão potiguar e as queijeiras artesanais. A ideia do ‘Caminho dos Queijos’ no Rio Grande do Norte é defendida por Fernando Oliveira, responsável pela implantação do projeto Queijo Artesanal na região da Serra da Canastra, em Minas Gerais. Além de valorizar uma atividade tradicional da área, o roteiro contribuiria para efetivar a interiorização do turismo no estado.
“Percebo que isso será inevitável. O turista estrangeiro que vier a Natal para a Copa estará em busca de experiências gastronômicas locais. O europeu é muito qualificado na questão queijos e, com certeza, vai querer provar do que existe na região, os alimentos típicos. A proposta seria o turismo apoiando o queijo e a pecuária existentes na região”, justifica. Leonardo Oliveira veio ao Rio Grande do Norte no início da semana para conhecer os laticínios do Seridó e participar do painel ‘Mercado Privado: Produção de Queijos e Agregação de Valor’, ministrado no Espaço Empreendedor do Sebrae na 50ª Festa do Boi, em Parnamirim.
Iniciado há cinco anos, o trabalho desenvolvido pelo especialista levou o queijo feito artesanalmente nos sete municípios da Serra da Canastra a ser considerado patrimônio pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O projeto cresceu tanto que foi estendido a outras regiões mineiras, como Araxá e Serro, e também outros estados.
“Se divulga muito o destino praia, mas existem coisas belíssimas na região produtora de queijo do estado. O queijo de coalho é muito anterior aos queijos mineiros. Acho que está se perdendo tempo para valorizar mais essa atividade”, alerta Oliveira, referindo-se a possibilidade de produtores, com apoio do Sebrae e parceiros, entrarem com o registro de Indicação Geográfica para agregar valor ao queijo de coalho. “Apesar da tradição, não vejo aqui essa parte histórica e cultural, como acontece em Minas Gerais, com identidade própria”, compara.
Segundo Fernando Oliveira, o Rio Grande do Norte tem três fatores favoráveis a esse processo: a existência de um Centro Tecnológico do Queijo do Seridó (CT Queijo), um perfil empreendedor do seridoense e um forte apelo turístico, gerado pelas paisagens e a atividade pecuária.

COPIADO DE: http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/caminho-dos-queijos-e-opcao-para-a-regiao-serido/
CLIQUE AQUI para conferir a matéria completa

sábado, 20 de outubro de 2012

BONS E MAUS MESTRES

Trecho do livro Sete Recados de um aspirante a catimbozeiro

Aos irmãos e irmãs que amam a Deus e cultuam a Jurema Sagrada, dedico trecho do livrinho que - com a Graça Divina e a ajuda dos pajés do Astral Superior - irei publicar em 2013. O título do opúsculo é SETE RECADOS de um aspirante a catimbozeiro. Me senti devidamente inspirado em escrever os "recados" entre os dias 12 e 15 de maio. Segue trecho da mensagem intitulada "Bons e Maus Mestres".
 

"Natal, 14/05/2012 - 13:08
Caríssimos(as),
evoluímos nos planos Físico, Astral e Mental. Gradualmente. Tentemos compreender, entretanto, que uma vez em corpo físico, já vivemos simultaneamente nesses três planos.
Quando desencarnamos, vão sendo ampliadas nossas percepções dos mundos mais sutis e nossas memórias de encarnações anteriores aos poucos retornam às nossas mentes. Tornamo-nos bem mais sensíveis, sendo também esses processos graduais.
Na escalada evolutiva, progressivamente nos desembaraçamos do plano grosseiro ao qual nossos espíritos desceram para, mais à frente, libertarmo-nos dos grilhões da matéria do Astral Inferior em direção ao Alto Astral e, finalmente, nos libertarmos dessas formas que mais ou menos limitam nossa capacidade plena de locomoção e percepção - ingressando nos graus do Plano Mental.
Aqui já fica um tanto difícil de explicar aos iniciantes, aos "recém chegados". Basta que saibamos, por hora, que esses níveis de vibração e percepção que caracterizam os planos Físico, Astral e Mental estão interconectados. Compreenda: um homem ou uma mulher, no mundo físico, sente desejos e pensa. Assim, é um ser triplo - formado por corpo, alma e mente. Seu corpo físico é interpenetrado por elementos do Plano Astral, também chamado Mundo de Desejos, e por emanações do Plano Mental.
 
O verdadeiro corpo humano, que fique bem claro, não é uma mera máquina que come e dorme. Se formos mais fundo na Ciência, veremos que na constituição humana há outros "corpos" que se for necessário estudaremos futuramente: assim como infinitas parecem ser as camadas de um átomo, infinitos parecem ser os corpos que compõem a criatura humana, e infinitos parecem ser os degraus da Evolução. Por questões didáticas, por hora, fiquemos no aspecto uno-trino.
Precisamos aprender a nos alimentar corretamente nos três Planos. Comidas naturais e puras, água limpa, fortalecem o corpo, os músculos, o cérebro. Mas são as boas leituras, as meditações, as boas músicas, as boas companhias, o ar puro e tudo o que desperte desejos elevados e bons pensamentos, que alimentam a alma e a mente. Nesse regime, muitas doenças são evitadas.
Quanto mais sóbrio, equilibrado e asseado for o indivíduo, mais [...] sua capacidade interna de sentir e visualizar os mundos espirituais - e a sua consciência terão acesso aos níveis além do Astral e do Mental inferiores.
A vida é uma escola completa. E como é linda esta palavra. VIDA. É nela e através dela que encontramos condições de crescer, de melhorar, quitando débitos obtidos em vidas passadas, neste e em outros mundos.
O homem e a mulher só aproximam-se do Pai à medida que quitam suas dívidas. Nossa ascensão, por isso, depende do serviço que realizamos em acréscimo ou superação de falhas e erros.
Um mal se paga com um bem. Uma lágrima derramada por obra nossa só será paga com um sorriso dado também por obra nossa... ou se derramarmos outras lágrimas equivalentes a dor que outrora fomentamos.
Cheguemos mais próximos dos mestres catimbozeiros. Compreendamos o significado do termo: mestre é quem detém a Ciência, o Conhecimento. A Ciência, por si só e a princípio, é neutra. Uma ciência mal dirigida ou aplicada para o mal inevitavelmente terá por responsável um mal homem, uma má mulher, um mal espírito. Dentro da Lei Evolutiva, aplicações perversas de qualquer ciência equivalem mais à autodestruição do que a destruição. "Só o Bem constrói. O mal por si só se destrói" - é um princípio da Umbanda.
Porém, a Ciência aplicada em direção ao Bem faz com que o mestre cresça indefinidamente, em direção ao Infinito. É assim que um catimbozeiro e até um feiticeiro mediocre, dirigindo seu conhecimento para o Bem, ladeado por suas boas intenções, por mais inocentes que sejam, ao mesmo tempo que quita suas dívida cármicas, cresce espiritualmente, sendo acolhido pelos bons Irmãos e Irmãs de Luz, conquistando espaços nas "salas de aula" do Astral Superior.
A Jurema, com todos os seus Reinos, Cidades e Aldeias, é uma dessas Universidades cujos Tutores, há milênios, contribuem pacientemente com a Evolução da espécie humana.
Aos espíritos que são melhorados, que progridem, na linha da Jurema é dada a possibilidade de trabalhar quando encarnados e quando desencarnados. O método mais comum é a ajuda mútua, na qual "médiuns" encarnados e entidades espirituais crescem trabalhando em conjunto.
O mestre em matéria, ao lidar com Mestres espirituais que tenham mais Ciência que Amor, deve amá-los, orientá-los, sempre emitindo bons pensamentos e bons fluídos, orar por suas almas, por sua elevação espiritual e conversar mentalmente com eles sempre que sentir necessidade - conversar coisas boas e edificantes.
Já os "cientistas" que conscientemente se comprazem em fazer o mal, invocando larvas, almas desorientadas, cadáveres astrais e Mestres persersos membros de escolas retrógradas... esses estão sob observação dos Irmãos mais elevados espiritualmente. Após muito lutar para corrigi-los, seus Guias ou Protetores abandona-os temporariamente à própria sorte, para que aprendam com seus próprios erros. A Justiça Cósmica cobrará, inevitavelmente, até que estejam nos eixos.
Já os Mestres espirituais nos quais o Amor superabunda, esses possuem suas escolas no Mundo Astral. Seus alunos conseguem, conforme as necessidades deles e dos encarnados, licença para atuar no mundo físico em seu Nome, portando seu Brasão, digamos. São os representantes ou os "correios" de grandes Mestres e Mestras."

Salve a Jurema Santa e Sagrada!
Salve a Umbanda Divina!
Que os catimbozeiros de boa vontade e os Mestres e Mestras juremeiros possam te dar ciência, paz, luz, AMOR e SABEDORIA.


(Imagens utilizadas na postagem: Xamã do Alto Rio Negro (AM) fumando charuto - desconheço o fotógrafo e a data; Mestre de Catimbó Anísio José Xavier, em 06/05/1938, Alagoa Nova (PB) - fotografia tirada por Luís Saia, membro da Missão de Pesquisas Folclóricas organizada por Mário de Andrade, na década de 1930).
 
 
FONTE: http://profangelico.blogspot.com.br/2012/10/bons-e-maus-mestres-trecho-do-livro.html

Goianinha e seus personagens ilustres

PERSONAGENS GOIANIENSE

                                                          GOIANINHA-RN  -  1943

         O município de Goianinha no Rio Grande do Norte foi, durante os séculos XIX e XX, celeiro de grandes personalidades da história jurídica do nosso estado e do nosso país. Dentre eles, destacamos o Dr. Augusto Carlos de Vasconcellos Monteiro nascido em Goianinha no dia 12 de outubro de 1881.

         Filho de Mathias Carlos de Vasconcellos Monteiro, bisneto do italiano Pietro Nicolau Villa e de Genuína Adelaide Pedroza Galvão. Descendente de seu patrício e companheiro de viagem, da Itália para o Brasil, no século XVIII Giovanni Baptista Simonetti.
      
      Iniciou o curso preparatório no Colégio Militar do Ceará, porém o abandonou por absoluta falta de vocação. Volta para Natal e no ano de 1897 conclui o curso de humanidade no velho Atheneu.

        No ano seguinte foi para o Recife e se matriculou na Faculdade de Direito. No dia 13 de dezembro de 1902, conclui o curso de Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais da daquela tradicional faculdade.

         Em janeiro de 1903, casa-se com sua prima em 4° grau, Amália Adelaide de Vasconcellos Monteiro, que nasceu em 1884, sua prima legítima, filha de João Baptista Constant Simonetti e Primênia Pedroza Simonetti.

         Dessa união nasceram os filhos: Belkiss Monteiro de Medeiros que se casou com Eloi Cesino de Medeiros; Haydee Simonetti Monteiro que casou com Ubaldo Bezerra de Melo, Interventor Federal, nomeado em fevereiro de 1946 pelo Presidente da República, General Eurico Gaspar Dutra, tendo tomado posse no Ministério da Justiça no Rio de Janeiro. Ubaldo Bezerra de Melo era proprietário das Usinas Ilha Bela e Santa Terezinha em Ceará-Mirim-RN. O terceiro e último filho foi Carlos Simonetti Monteiro casado com Nazaré Nascimento Monteiro.

         Nesse mesmo ano, já era promotor público da comarca de Canguaretama. Em 1906, muda-se para a região do Seridó, em virtude de sua nomeação para Juiz de Direito da Comarca de Acari. No ano seguinte foi exercer a mesma função na cidade de Caicó, onde permaneceu por de cinco anos.

         Com o falecimento de sua primeira esposa, que também era sua prima, Amália Adelaide de Vasconcellos Monteiro, em 30 de março de 1911, casa-se pela segunda vez com a caicoense Maria Valle Monteiro (1896-1979) com quem teve duas filhas: Eunice Valle Monteiro, nascida em Goianinha em 1915, tendo falecido em Caicó em 27 de maio de 1944, vítima de um desastre quando viajava com destino a Natal. Cléa Valle Monteiro nascida no Acre em 1917, falecida em 1926 em Caicó com apenas oito anos de idade.






















         Desde muito cedo, já demonstrava interesse pela política. Como na época era permitido aos magistrados exercerem a atividade política partidária, chegou a dirigir por alguns anos o partido situacionista local. Em 1912 foi eleito Deputado Federal pelo Rio Grande do Norte para o triênio 1912/1914.

                               UMA NOVA ADMINISTRAÇÃO DO ACRE
                                                   RIO DE JANEIRO
                                                  IMPRENSA NACIONAL
                                                           1915

        A sua mais importante contribuição para nosso país foi o projeto de Lei à Câmara dos Deputados, n° 257 – 1914, intitulado REORGANIZAÇAO A ADMINISTRAÇÃO DO TERRITÓRIO DO ACRE, composto de sete capítulos e quarenta e oito artigos. Em 29 de dezembro de 1914, defende no Congresso Nacional o projeto apresentado, publicado em 1915, com ampla repercussão na imprensa da Capital Federal.

Em 6 de janeiro de 1915, por Decreto Presidencial foi nomeado prefeito do Alto Acre, onde exerceu o cargo que lhe foi confiado pelo Chefe da Nação, com isenção e espírito público. Prestou, na medida do possível com muito esforço e dedicação, relevantes serviços ao povo daquela região esquecida do país.




                                                   Termo de Posse
         

Transcrevo abaixo o termo de posse, conforme cópia do Documento Oficial.

“BRASÃO DAS ARMAS
REPÚBLICA DOS ESTADOS UNIDOS DO BRASIL
O Presidente da República:
Resolve nomear o Dr. Augusto Carlos de Vasconcellos Monteiro para o cargo de Prefeito do Alto Acre.
Rio de Janeiro, seis de janeiro de mil novecentos e quinze, nonagésimo quarto da Independência e vigésimo sétimo da República.
Carlos Maximiliano Pereira dos Santos”

         Durante o seu mandato governamental que se estendeu de 1915 a 1918, realizou naquela distante região do nosso país, obras de grande importância que muito contribuiu para o desenvolvimento regional.


         Em maio de 1915, criou o Grupo Escolar “24 de Janeiro” atualmente “Sete de Setembro” em Rio Branco, atual capital daquele Estado. Em 29 de agosto de 1915, cria em Xapuri, o Grupo Escolar “Seis de Agosto”. Em 13 de maio de 1916, instala o Serviço de Luz Elétrica em Rio Branco. Em 07 de setembro de 1917 instala na mesma cidade, o Serviço de Telefonia público e particular. Em 13 de maio do ano seguinte inaugura o primeiro hospital de caridade, atualmente denominado Santa Casa de Misericórdia do Acre, ainda em Rio Branco.

         Vitimado pela “gripe espanhola” contraída no Acre, que assolava todo o país faleceu aos 37 anos de idade, na cidade de Belém-PA, após desembarcar do navio que viajava com destino ao Rio de Janeiro, então Capital Federal, onde assistiria a posse do Presidente Epitácio Lindolfo da Silva Pessoa. Nessa viagem estava em companhia de sua irmã mais nova Alzira Adelaide Vasconcelos Monteiro.

         O Rio Grande do Norte também padeceu com a terrível peste. Estórias transmitidas pela oralidade informam que a doença foi responsável por dizimar famílias inteiras. Os corpos eram jogados em valas a céu aberto, tão grande era o número de mortos. As avenidas Rio Branco, Princesa Isabel e Deodoro da Fonseca (com as respectivas denominações daquela época), tornaram-se cemitérios obrigatórios. Como não havia pavimentação, as fortes chuvas da época abriam nessas ruas, grandes valas que foram usadas para sepultamento dos corpos.  

         Augusto Carlos de Vasconcellos Monteiro não retornou ao seu amado torrão. Devido às dificuldades existentes na época, foi sepultado, possivelmente no Cemitério de Santa Isabel, por ser o mais antigo da cidade de Belém do Pará.
(Matéria publicada em O JORNAL DE HOJE)
Transcrito de: http://ormuzsimonetti.blogspot.com.br/2012/08/personagens-goianiense.html
 
 

Intertv Cabugi faz 25 anos

A governadora Rosalba Ciarlini participou da comemoração pelos 25 anos da Intertv Cabugi no restaurante Fogo&Chama acompanhada dos Democratas senador José Agripino, da prefeita de Mossoró Fafá Rosado, do deputado estadual Leonardo Nogueira e da prefeita eleita Cláudia Regina. Rosalba falou da importância da emissora para o RN e enfatizou a relevância do veículo para a garantia do processo democrático. “Pela Intertv Cabugi a população pode participar de tudo o que acontece não só no nosso Estado, mas também no mundo. Com certeza, a emissora ajuda muito no processo democrático e de cidadania, além de contribuir para um RN maior, veiculando ações que vão acontecendo, ao mesmo tempo em que traz o lazer, entretenimento e momentos de muita alegria”.
O deputado Henrique Eduardo Alves agradeceu a governadora e relembrou o surgimento da emissora como um grande sonho do seu pai, Aluízio Alves “um homem obstinado e idealista em tudo o que fazia”. A chefe do Executivo Estadual acrescentou que os 25 anos da Intertv são o resultado de muito esforço de um “homem com muita determinação, à frente do seu tempo, que foi Aluízio Alves. Ele deu esse presente ao RN, engrandecendo o nosso estado com esse trabalho que está apenas começando”, concluiu.


FONTE: http://www.thaisagalvao.com.br/2012/10/19/intertv-cabugi-faz-25-anos/

RN teve o melhor índice de reeleição de prefeitos no país


Pesquisa divulgada hoje pelo jornal Valor Econômico mostrou que o Rio Grande do Norte é o Estado brasileiro com o melhor índice de reeleição do país na análise das disputas municipais. Nas últimas quatro disputas municipais, a taxa de reeleição no recordista Estado potiguar foi em média de 71,7% .
FONTE http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/rn-teve-o-melhor-indice-de-reeleicao-de-prefeitos-no-pais/

sábado, 13 de outubro de 2012

História da OAB do RN

No dia 05 de março de 1932, na sede do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, realizou-se a primeira reunião do Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil, Secção do Rio Grande do Norte. Foi uma reunião preparatória na qual compareceram os advogados Doutores Francisco Ivo Cavalcante, Presidente, Paulo Pinheiro de Viveiros, Secretário, Manoel Varella de Albuquerque, Tesoureiro e Bruno Pereira de Xavier Montenegro, Vogais.

Decidiu-se, na oportunidade, publicar um edital de convocação aos advogados provisionados e solicitadores para que os mesmos requeressem a sua inscrição na ordem. Os historiadores da época, no entanto, registram que a Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional do Rio Grande do Norte só foi efetivamente criada em 22 de outubro de 1932, sendo, portanto, a sétima seccional criada no Brasil.


A sua diretoria provisória ficou assim constituída: Presidente, Francisco Ivo Cavalcante, Secretário, Paulo Pinheiro de Viveiros e Tesoureiro, Manoel Varella de Albuquerque.

A Ordem dos Advogados do Brasil é hoje um serviço público de natureza "sui generis", porquanto o seu Estatuto no parágrafo 2º do art. 1º atribui-lhe esta condição, nos exatos termos do parágrafo 2º do art. 2º da Lei 8.906, de 04 de julho de 1994 (Estatuto da advocacia e da OAB).


No ordenamento brasileiro, são três os figurantes indispensáveis à administração da justiça: o Advogado, o Juiz e o Promotor. O primeiro postula, o segundo julga e o terceiro fiscaliza a aplicação da Lei. Cada um desempenha seu papel, de modo paritário, sem hierarquia. Pode-se dizer, metaforicamente, que o juiz simboliza o Estado, o promotor, a Lei e o advogado, o povo, segundo preleciona Paulo Luiz Neto Lobo nos comentários ao novo Estatuto da advocacia e da OAB (Editora Brasileira Jurídica - OAB Conselho Federal - Brasília/DF - 1994).


FONTE: http://www.oab-rn.org.br/x/institucional/historia

Os Franceses no Rio Grande do Norte


Quando os franceses foram expulsos do Sul do País seguiram rumo ao Norte, mantendo um ativo comércio com os nativos. Não conseguiram no entanto instalar uma colônia. Chegaram a contar com um intérprete: "Um castelhano tornado potiguar, beiço furado, tatuado, pintado de jenipapo e urucu, falando o nheengatu em serviço dos franceses com os quais se foi embora", narrou Câmara Cascudo. A base deles era o Rio Grande do Norte.
Os franceses passaram a fazer investidas contra a Paraíba, com o apoio dos potiguares. O ataque mais audacioso se realizou entre 15 a 18 de agosto de 1597. Portanto treze navios, o embate se deu com a fortaleza de Santa Catarina de Cabedelo, sob o comando do aventureiro Jacques Riffaul, que desembarcou trezentos e cinqüenta homens. E mais: "Vinte outras naus reforçaram a investida, esperando a ordem no rio Potengi". Não foi um simples assalto de corsários, mas se constituiu uma verdadeira batalha. A fortaleza foi defendida por apenas vinte soldados. A artilharia contava com cinco peças. Os portugueses resistiram ao ataque, forçando os franceses a baterem em retirada.
Vilma Monteiro analisa a importância dessa vitória: "Determina os novos rumos da conquista da região Norte. Permite a posse efetiva da Capitania do Rio Grande, seu povoamento e colonização, com isso abrindo as portas para a expansão civilizadora sobre novos territórios".
Os franceses, diante desse quadro, ameaçavam a Paraíba; após a caída desta, a próxima conquista seria Pernambuco ...
Foram eles que iniciaram o processo de miscigenação entre europeus e americanos na região. Dois aventureiros se destacaram: Charles de Voux e Jacques Riffault. Ainda hoje um local guarda no nome a lembrança de Riffault, no bairro do Alecrim em Natal, onde se ergueu a Base Naval (Refoles).


FONTE: http://tribunadonorte.com.br/especial/histrn/hist_rn_2b.htm

Os Holandeses e os Tapuias

(Por Evaneide Fidélis de Oliveira; Helder Alexandre Medeiros de Macedo; Márcia Batista de Araújo e Maria Helenice Dantas) Copia de: http://www.cerescaico.ufrn.br/rnnaweb/historia/colonia/holandeses.htm


Interessados em assegurar o seu controle sobre a Capitania do Rio Grande, os holandeses cedo firmaram alianças com os povos ditos Tapuias, com a "urgência de encontrar aliados, em número e força, para a manutenção do [ seu ] domínio" (PUNTONI, 1998, p. 38). Segundo CASCUDO, em 1631, dirigiu-se ao Conselho Político do Brasil Holandês o índio "Marcial ou Marciliano, fugitivo dos acampamentos portugueses, informando que seus companheiros [ os "reis" Janduí e Oquenaçu, Tapuias da Nação Tarairiú ] estavam desejosos de uma aliança com os invasores" (1984, p. 61).
Durante o período da Dominação Holandesa no Nordeste (1630-1654), a política da Companhia das Índias Ocidentais será a de relações amigáveis com os Tapuias, visando à sua participação no processo de colonização. O próprio Conde de Nassau "reconhecia a importância de manter tais aliados [ pois da ] amizade dos índios dependia em parte o sossego e a conservação da colônia do Brasil" (citado por PUNTONI, obra citada, p. 39). A aliança dos flamengos com os indígenas do interior da Capitania do Rio Grande foi relativamente pacífica, pois, ao contrário dos portugueses, os holandeses concederam aos Tapuias uma aparente liberdade e a não-escravização, além de manterem relações bastante íntimas.
A pedido do Conde Maurício de Nassau, o judeu alemão Jacob Rabbi foi ao interior da Capitania do Rio Grande e passou quatro anos junto aos Tapuias Janduís, chefiados pelo "rei" de mesmo nome. Além de servir de intérprete dos Janduís para os holandeses, sua permanência entre os índios fortificava os laços de aliança política. Jacob Rabbi assimilou e adotou muitos dos costumes dos indígenas e, através dessa sua adaptação, tornou-se um verdadeiro líder, fazendo com que os Tarairiús tornassem-se "uma espécie de matilha fiel, sempre pronta ao aceno do caçador para perseguir e despedaçar a caça levantada" (CASCUDO, 1992, p. 50).
Rabbi foi autor de uma crônica relatando a vida e os costumes dos Tapuias, a qual foi oferecida ao Conde Maurício de Nassau. Através dessa crônica muitos aspectos etnográficos dos Tapuias são hoje conhecidos, pois foi utilizada por outros autores holandeses, em seus relatos. Além de Rabbi, outro holandês viveu entre os súditos do "rei" Janduís. Trata-se de Roulox Baro, que visitou o chamado "País dos Tapuias" (PUNTONI, obra citada, p. 40), no final da primeira metade do século XVII. O relato essa viagem acha-se incluído no livro História das Últimas Lutas no Brasil entre Holandeses e Portugueses e Relação da Viagem ao País dos Tapuias (1647), de Pierre Moreau e Roulox Baro, respectivamente. Escreveram, ainda, sobre os Tapuias: Joannes de Laet, com a História ou Anais dos Feitos da Companhia Privilegiada das Índias Ocidentais, desde o seu começo até o fim do ano de 1636 (1647); George Marcgrave, com a História Natural do Brasil (1648); Guilherme Piso, com a História Natural e Médica da Índia Ocidental (1658); Joan Nieuhof, com Memorável Viagem Marítima e Terrestre ao Brasil (1682); Elias Herckman, com Descrição Geral da Capitania da Paraíba (1639) e Zacharias Wagner, com Zoobiblion.
Por meio desses relatos podemos ter uma idéia – embora, na visão dos europeus - do modo de vida, costumes e hábitos dos Tapuias que habitavam o Sertão do Rio Grande, informações essas que foram compiladas por Olavo de MEDEIROS FILHO (1984 e 1998) em duas obras sobre o passado potiguar, Índios do Açu e Seridó e Os Holandeses na Capitania do Rio Grande. 

Favor citar da seguinte forma:
OLIVEIRA, E. F. de; MACEDO H. A. M. de; ARAÚJO, M. B. de e DANTAS, M. H. Os holandeses e os tapuias. História do RN n@ WEB [On-line]. Available from World Wide Web:
Referências Bibliográficas CASCUDO, Luís da Câmara. História do Rio Grande do Norte. 2.ed. Rio de Janeiro: Achiamé. Natal: Fundação José Augusto, 1984 (Capítulo III: p. 57-91).
_________. Os Holandeses no Rio Grande do Norte (1949). Mossoró: ESAM, 1992 (Coleção Mossoroense, Série C, v. 792).
FREIRE, Carlos Norberto (coord.). A História do Rio Grande do Norte. Natal: Tribuna do Norte, 1998 (Fascículo 3)
MARIZ, Marlene da Silva. O Rio Grande do Norte e o Descobrimento do Brasil. In:_____. CASTRO, Nei Leandro (coord.). Terra Potiguar: uma viagem pela beleza e pela cultura do Rio Grande do Norte. Barcelona: Bustamante Editores. Natal: COSERN/IBERDROLA/Secretaria Estadual de Turismo/Banco do Brasil/Universidade Potiguar, 1998. p. 40-65.
MATHIAS, Herculano Gomes (coord.). História do Brasil. Rio de Janeiro: Bloch Editores, 1997/1998 (Fascículo 7: A União Ibérica/As Invasões Holandesas).
MEDEIROS FILHO, Olavo de. Índios do Açu e Seridó. Brasília: Senado Federal Centro Gráfico, 1984.
_________________. Os Holandeses na Capitania do Rio Grande. Natal: Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, 1998 (Col. Cultura, 6).
MEDEIROS, Tarcísio. Aspectos Geopolíticos e Antropológicos da História do Rio Grande do Norte. Natal: Imprensa Universitária, 1973.
PUNTONI, Pedro. O País dos Tapuias. In:_____. A Guerra dos Bárbaros – Povos Indígenas e a Colonização do Sertão Nordeste do Brasil (1650-1720). São Paulo: 1998. 254 p. Tese (Doutorado em História Social) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – USP. p. 34-72.
RIBEIRO, Berta G. VELTHEN, Lucia H. von. Coleções Etnográficas: documentos materiais para a história indígena e a etnologia. In:_____. CUNHA, Manuela Carneiro da (org.). História dos Índios no Brasil. 2.ed. São Paulo: Companhia das Letras/Secretaria Municipal de Cultura/FAPESP, 1998. p. 103-112.
SOUZA, Itamar de. O Domínio Holandês no RN. Diário do Rio Grande do Norte. Natal: Diário de Natal/Diário de Natal Educação/Projeto Ler, 01/jun1992 (Fascículo 2).
SUASSUNA, Luiz Eduardo B. MARIZ, Marlene da Silva. História do Rio Grande do Norte Colonial (1597/1822). Natal: Natal Editora, 1997.
TEENSMA, B. N. O Diário de Rodolfo Baro (1647) como Monumento aos Índios Tarairiú do Rio Grande do Norte. [ s. l. ]: ca.1998 (mimeo).

A História da Televisão no RN

Década de 1960

A televisão aberta local demorou muito a chegar no Rio Grande do Norte. Nos anos 60, apenas se via retransmissoras das emissoras pernambucanas como a TV Rádio Clube de Pernambuco (que era a TV Tupi) e a TV Jornal do Commercio (que era independente).

Década de 1970

Televisão potiguar.svgEm dezembro de 1972, entra no ar a primeira emissora local a TV Universitária (Canal 5), emissora educativa. No entanto, a carência de uma TV comercial era grande e Natal ganha oficialmente em 1977 a retransmissora da TV Globo de Recife. Mossoró recebia a TV Tupi de Recife e a TV Verdes Mares de Fortaleza (afiliada a Globo). Os Diários Associados ganham uma concessão de TV, que deveria ter entrado no ar em 1978, mas não aconteceu a instalação da emissora. Com o fim da Tupi em 1980, Natal e região ficava só com dois canais de TVs: A Universitária e a retransmissora da Globo de Recife.

Década de 1980

Em 1985, em Natal voltou ao ar a retransmissora da TV Jornal, afiliada à Bandeirantes, no canal 8 e a TV Manchete Recife, no canal 11. Em março de 1987, é inaugurada a primeira TV comercial da cidade, a TV Ponta Negra, afiliada ao SBT no canal 13. Neste mesmo período, a TV Jornal do Comércio também se afilia ao SBT e o canal 8 de Natal passou a repetir o sinal via satélite da Bandeirantes.No mesmo ano, entram no ar pelo canal 3 a TV Cabugi (afiliada à Globo) e a TV Tropical (afiliada à Rede Manchete no canal 8. Com isto, as retransmissoras da Globo Recife (canal 13), Manchete (11) e Bandeirantes (8) saem do ar. O canal da TV Verdes Mares em Mossoró também é desativado e passa a retransmisitr a TV Cabugi. A TV Cabugi observa que o canal 11 está vago e pede para trocar de canal, sendo autorizado pelo Ministério das Comunicações. Em 1990, a TV Potengi entra no ar ocupando o canal 3, trazendo novamente o sinal da Bandeirantes, que ficara ausente, à capital.

Décadas de 1990 e 2000

Em 1998, devido a crise da Rede Manchete, a TV Tropical passa a transmistir a Rede Record, que permanece até hoje. Em 2006, entra no ar o canal 17 trazendo a imagem da RedeTV! depois de passar um tempo arrendada e transmistindo a TV União. Atualmente a emissora tem o nome de SIMTV. No mesmo ano, a TV Cabugi é vendida ao grupo InterTV, que continua com a Rede Globo.
Em 2007, a TV Potengi é vendida para o Grupo Bandeirantes e em 2008 passa a se chamar TV Bandeirantes Natal. Em 2007 entra no ar a primeira emissora local de Mossoró, a TV Mossoró, canal 7 afiliada a Rede Gênesis. O município recebe imagens das grandes redes do Brasil através das retransmissoras das emissoras de Natal. Em 2012 a TV Mossoró passa a ser afiliada da TV Cultura. Em 2008 Natal recebe a TV Assembléia RN em Canal aberto, através do canal 30, ficou no ar até abril de 2010 quando o canal passou a ser digital e foi dado a tv Bandeirantes. Em agosto de 2010 a emissora voltava em sinal aberto para Natal através do canal 50 ainda continua no ar mas deverá entregá-lo a seu legítimo proprietário. Além destes canais, Natal ainda recebe os sinais da MTV (Canal 25), RIT (Canal 22), Boas Novas (ex-RBN, Canal 27), TV Assembléia (Canal 50), Rede Vida (Canal 38), Canção Nova (Canal 46), TV Senado (Canal 52).Record News (Canal 19) a CNT (Canal 43) a Rede Genesis (Canal 41), e a TV Igreja Mundial (Canal 29) todos estes canais como retransmissoras. Natal deverá ganhar em breve o canal 57 ainda a ser definido pelo Ministério das Comunicações se será a TV Assembléia ou a TV União Natal que vem pleiteando este canal já há algum tempo.
A TV Assembléia perde o canal 30 em virtude de ter sido dado a TV Bandeirantes digital foi para o canal 50,mas perderá esta canal aberto que foi dado para a TV Câmara (Federal). Existe um acordo para que o canal gere a imagem das duas emissoras até a tv Assembléia conseguir, oficialmente um canal aberto para Natal. A portaria 09/2011 do Ministério das Comunicações abriu licitação para o canal 14 educativo digital para Natal.


FONTE: http://pt.wikipedia.org/wiki/Televis%C3%A3o_no_Rio_Grande_do_Norte

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Porto de Natal completará 80 anos


Do próximo dia 15 de outubro até o dia 11 de novembro, a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern) celebrará, com uma ampla programação, os “80 Anos do Porto de Natal”. A programação inclui palestras, serviços para a população, ato ecumênico e a entrega do “Mérito Portuário” a autoridades de Natal e do Rio Grande do Norte. Haverá ainda ações de cidadania nas escolas, mutirão de limpeza no Rio Potengi, regata dos “80 Anos do Porto de Natal” e o lançamento de um Selo Alusivo à data. “Dentro da programação haverá ainda o recebimento da Licença Ambiental do Porto de Natal, que será concedida pelo Idema, por parte da Diretoria da Codern”, antecipa o Diretor-Presidente da Codern, Pedro Terceiro de Melo. “Trata-se de um acontecimento que nos deixa muito orgulhosos”, resume.
O Porto de Natal completa 80 anos no dia 24 de outubro de 2012 e a programação dos “80 Anos do Porto de Natal” terá um capítulo especial dedicado aos mais de 100 funcionários da Codern. Na próxima segunda-feira 15, dando início às atividades comemorativas, haverá o “Projeto Circuito do Bem Estar”. Realizado em parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI), o projeto apresentará um diagnóstico dos servidores da Codern e consistirá da realização de atividades voltadas para a melhoria do ambiente organizacional, com foco na qualidade do trabalho.


FONTE: http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/porto-de-natal-completara-80-anos/

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Qual partido elegeu mais prefeitos no RN?

Partido mais jovem do RN elege 21 prefeitos no RN: O PSD.

PMDB – 51
DEM – 23
PSD – 21
PSB – 19
PR – 18
PMN – 9
PP – 8
PT – 6
PSDB – 3
PPS – 2
PV – 2
PTB – 2
PC do B – 1
PDT – 1


FONTE: http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/partido-mais-jovem-do-estado-elege-21-prefeitos-no-rn-o-psd/

Professora Amanda Gurgel se elege e leva mais dois do Psol para Câmara

A professora Amanda Gurgel (PSOL) que ficou conhecida nacionalmente por ter usado a Tribuna da Assembleia Legislativa e defender os interesses da classe dos professores teve uma votação surpreendente em Natal.  Se elegeu vereadora com mais de 32 mil votos, conseguindo trazer mais dois vereadores do Psol: Sandro Pimental e Marcos do Psol.
Veja a nova composição da Câmara Municipal de Natal:
Amanda Gurgel (PSTU) – 32.819 votos/Rafael Motta (PP) – 9.460 votos/Chagas Catarino (PP) – 8.063/Albert Dickson (PP) – 7.344/Luiz Almir (PV) – 6.894/Ubaldo Fernandes (PMDB) – 6.803/Adão Eridan (PR) – 6.227/Jacó Jácome (PMN) – 5.942/Júlia Arruda (PSB) – 5.930/Bertone Marinho (PMDB) – 5.830/Raniere Barbosa (PRB) – 5,657/Aquino Neto (PV) – 5.435/Dagô (DEM) – 5.380/Bispo Francisco de Assis (PSB) – 5.171/Franklin Capistrano (PSB) – 5.008/Felipe Alves (PMDB) ´- 4.997/Aroldo Alves (PSDB) – 4.876/Dickson Nasser Júnior (PSDB) – 4.804/Ary Gomes (PP) – 4.723/Paulinho Freire (PP) – 4.600/Júlio Protásio (PSB) – 4.527/Maurício Gurgel (PHS) – 4.188/George Câmara (PCdoB) – 3.559/Fernando Lucena (PT) – 3.278/Hugo Manso (PT) – 2.234/Eleika Bezerra (PSDC) – 2.210/Eudiane Macedo (PHS) – 2.078/Sandro Pimentel (PSOL) – 1.398/Marcos do Psol – 717 votos.

FONTE: http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/professora-amanda-gurgel-se-elege-e-leva-mais-dois-do-psol-para-camara/

Relação dos novos Prefeitos eleitos no RN

Acari – Isaias Cabral (PMDB)
Afonso Bezerra – Jackson Bezerra (PSB)

Água Nova – Rafaela Carvalho (PMDB)

Alexandria – Dr Nei (PSB)

Almino Afonso- Lawrence Amorim (PMDB)

Alto do Rodrigues – Abelardo Rodrigues (DEM)

Angicos – Júnior Batista (DEM)

Antônio Martins – Zé Júlio (PSD)

Apodi – Flaviano (PCdoB)

Areia Branca – Luana Bruno (PMDB)

Arês – Dr Erço (PR)

Assú – Ivan Júnior (PP)

Baia Formosa – Nivaldo Melo (PSD)

Baraúno – Isoares Martins (PR)

Barcelona – Dr. Raroldo (PR)

Bento Fernandes – Ivanaldo (PP)

Boa Saúde – Paulinho (PSD)

Bodó – Tinha (DEM)

Bom Jesus – Júnior de Dona Lourdinha (PMDB)

Brejinho – Drª Ivete (PR)

Caiçara do Norte – Alcides (PP)

Caiçara do Rio dos Ventos – Etinho (PMDB)

Caicó – Roberto Germano (PMDB)

Campo Grande – Bibi de Neca (PMDB)

Campo Redondo – Dr. Alessandru (PMN)

Canguaretama – Fátima Marinho (PSD)

Caraúbas – Ademar (PMDB)

Caraúba dos Dantas – Dr. Sérgio (PSB)

Carnaubais – Luizinho (PSB)

Ceará Mirim – Peixoto (PR)

Cerro Corá – Novinho (DEM)

Coronel Ezequiel – Tau (PSB)

Coronel João Pessoa – Panchica (PP)

Cruzeta – Nena (PMDB)

Currais Novos – Vilton Cunha (PR)

Doutor Severiano – Carlos (PP)

Encanto – Alberone Neri (DEM)

Equador – Noilde Sabino (DEM)

Espírito Santo – Chico Araújo (PMDB)

Extremoz – Klauss (PMDB)

Felipe Guerra – Haroldo Ferreira (PSD)

Fernando Pedroza – Renato (PV)

Florânea – Júnior de Janúncio (PSD)

Francisco Dantas – Gilson Dias (PTB)

Frutuoso Gomes – Dr. Lucídio (PSB)

Galinhos – Aluísio Oliveira (PMN)

Goianinha – Júnior Rochar (PMDB)

Governador Dix-Sept Rosado – Anax (DEM)

Grossos – Mauricinho (PMDB)

Guamaré – Hélio de Mundinho (PMDB)

Ielmo Marinho – Bruno Patriota (PSD)

Ipanguassu – Leonardo Oliveira (PT)

Ipueira – Paulo (DEM)

Itajá – Licélio Guimarães (PSB)

Itaú – Siro Bezerra (DEM)

Jaçanã – Esdras (DEM)

Jandaíra – Beto Roque (PR)

Janduís – Lígia Félix (PSDB)

Japi – Robinho (PSB)

Jardim de Angicos – Suely (PMDB)

Jardim de Piranhas – Elídio Queiros (PSD)

Jardim do Seridó – Padre Jocimar (PMDB)

João Câmara – Vavá (DEM)

João Dias – Girlano (DEM)

José da Penha – Antônio Dólar (PMN)

Jucurutu – George Queiroz (PMDB)

Jundiá – Beto de Izaías (PMDB)

Lagoa D Anta – João Paulo (PR)

Lagoa de Pedras – Raniere (DEM)

Lagoa de Velhos – Igor Araújo (DEM)

Lagoa Nova – João Maria (DEM)

Lagoa Salgada – Alexandre Justino (PSB)

Lajes – Bênes (PMDB)

Lajes Pintadas – Nivaldo (PR)

Lucrécia – Waltinho (PSD)

Luís Gomes – Dr. Tadeu (PPS)

Macaíba – Dr. Fernando (PMN)

Macau – Kerginaldo (PMDB)

Major Sales – Dr. Thales (PMDB)

Marcelino Vieira – Dr. Ferrari (PR)

Martins – Olga Fernandes (DEM)

Maxaranguape – Neidinha (PSDB)

Messias Targino – Arthur (PMDB)

Montanhas – Algacir (PSD)

Monte Alegre - Severino da Irmã Dulce (PMDB)

Monte das Gameleiras – Rodolfo dos Anjos (PMN)

Mossoró – Cláudia Regina (DEM)

Nísia Floresta – Camila (DEM)

Nova Cruz – Cid Arruda (PSB)

Olho D Água os Borges – Brenno Queiroga (PMDB)

Ouro Branco – Drª Fátima (PT)

Paraná – Oriana (PMDB)

Paraú – Antônio de Narciso (PSB)

Parazinho – Marquinhos (PR)

Parelhas – Francisco do PT (PT)

Parnamirim – Maurício Marques (PDT)

Passa e Fica – Pepeu (PMDB)

Passagem – Dedé de Babá (DEM)

Patú – Evilásio (PSB)

Pau dos Ferros – Fabrício Torquato (DEM)

Pedra Grande – Marcão (PMDB)

Pedra Petra – Luiz de Haroldo (PSDB)

Pedro Avelino – Sérgio Cadó (PMDB)

Pedro Velho – Tio Zé (PSD)

Pendências – Ivan Padilha (PMDB)

Pilões – Dr. Chagas (PMDB)

Poço Branco – Maurício Menezes (PSD)

Portalegre – Neto da Emater (PP)

Porto do Mangue – Titico (PMDB)

Pureza – Maria do Sindicato (PT)

Rafael Fernandes – Nico Júnior (PMDB)

Rafael Godeiro – Abel Filho (PSB)

Riacho da Cruz – Bernadete Rêgo (DEM)

Riacho de Santana – Jessé (PSB)

Riachuelo – Mara (PSB)

Rio do Fogo – Laerte (DEM)

Rodolfo Fernandes – Monteiro Neto (PR)

Ruy Barbosa – Nica (PMDB)

Santa Cruz – Drª Fernanda (PMDB)

Santa Maria – Celina (PMDB)

Santana do Matos – Lardjane (DEM)

Santana do Seridó – Dril (PMDB)

Santo Antônio – Lula Ribeiro (PMDB)

São Bento do Norte – Cláudio (PSD)

São Bento do Trairí – Kaly (PSB)

São Fernando – Genílson Maia (PSB)

São Francisco do Oeste – Gildene (PTB)

São Gonçalo do Amarante – Jaime Calado (PR)

São João do Sabugi – Aníbal (PMDB)

São José de Mipibu – Arlindo Dantas (PMDB)

São José de Campestre – Sione (PMN)

São José do Seridó – Jackson Dantas (PMDB)

São Miguel – Dr. Dario (PP)

São Miguel do Gostoso – Fafá (PMDB)

São Paulo do Potengi – Naldinho (PSD)

São Pedro – Robenice Ribeiro (PR)

São Rafael – Arimatéia Braz (PPS)

São Tomé – Gutemberg (PMDB)

São Vicente – Joci (PMDB)

Senador Elói de Souza – Kerginaldo (PMDB)

Senador Georgino Avelino – Val (PMDB)

Serra Caiada – Socorro de Faustinho (PMN)

Serra de São Bento – Emanuel Faustino (PSD)

Serra do Mel – Irmã Lúcia (PMDB)

Serra Negra do Norte – Urbano Faria (PT)

Serrinha – Fabiano de Souza (PMDB)

Serrinha dos Pintos – Rosania (PT)

Severiano Melo – Dr. Dagoberto (PSD)

Sítio Novo – Nenem (PR)

Taboleiro Grande – Klebinha (PSD)

Taipu – Louvado (PSD)

Tangará – Alcimar de Gija (PMN)

Tenente Ananias – Mazé (PSB)

Tenente Laurentino Cruz – Titico de Zé Vicente (PMDB)

Tibau – Naldinho (PSD)

Tibau do Sul – Valdenício (PR)

Timbaúba dos Batistas – Chilon Batista (PMDB)

Touros – Ney Leite (PSD)

Triunfo Potiguar – Gildenor (PSB)

Umarizal – Mano (DEM)

Upanema – Luiz Jairo (PR)

Várzea – Getúlio (PSD)

Venha-Ver – Expedito Salviano (PR)

Vera Cruz – João Paulo (PMDB)

Viçosa – Toinho do Miragem (PP)

Vila Flor – Manoel de Lima (PV)

FONTE: http://www.robsonpiresxerife.com/blog/notas/relacao-dos-prefeitos-eleitos-no-rn/