segunda-feira, 20 de setembro de 2010

As familias e o poder no Rio Grande do Norte


Adaptado do site http://correiopop.wordpress.com/category/artigos/
Cefas Carvalho e José Pinto Junior

Três famílias dominam Governo e Senado no Rio Grande do Norte há mais de meio século

Desde os tempos antigos que o poder político tradicionalmente se concentra nas mãos de famílias. Era assim nos impérios, nas monarquias e continuou assim no regime democrático, pelo menos em alguns lugares. No Rio Grande do Norte, como em boa parte do Nordeste, quem detém o poder político há décadas são famílias. Poucas famílias. No RN, menos de dez famílias dividem (e se alternam nele) no poder.
Na verdade, três famílias concentram a maior parte do poder político no estado há mais de 50 anos. Trata-se das famílias Alves, Rosado e Maia. Destes três grupos familiares, já saíram 6 governadores, 6 senadores e dezenas de deputados federais e estaduais.

ALVES – O projeto político da família começou com Aluizio Alves. O prestígio de Aluizio impulsionou a carreira política do irmão, Agnelo Alves. A cassação dos direitos políticos dos dois, anos 60 e 70, gerou uma nova geração de políticos da família, como Henrique Alves e Garibaldi Alves Filho. Posteriormente, surgiram Carlos Eduardo Alves e Ana Catarina Alves. A novíssima geração é representada pelo filho de Garibaldi, Walter Alves, deputado estadual.

MAIA – O patriarca foi Tarcísio Maia, filho do político paraibano João Agripino Maia. Tarcísio militou na política nos anos 60 e tornou-se governador nos anos 70. Seu primo, Lavoisier Maia, foi governador nos anos 80. O filho de Tarcísio, José Agripino Maia, tornou-se a estrela maior da família, tendo sido prefeito de Natal, governador duas vezes e senador. O filho de Agripino, Felipe Maia, representa a nova geração. Uma curiosidade: Wilma de Faria, que já foi Wilma Maia quando casada com Lavoisier, iniciou a carreira política com os Maia. Muito embora Vilma não use mais o sobrenome Maia, seus filhos, Márcia e Lauro, adotaram a marca registrada.

ROSADO – Pai de 21 filhos, Jerônimo Rosado deu origem ao um clã muito diversificado de políticos, que comanda Mossoró há mais de meio século. De seus filhos, surgiram prefeitos (Dix-huit e Vingt Rosado), senadores (Vingt Rosado) e um governador do Estado (Dix-sept Rosado). Os netos seguiram carreira igualmente vitoriosa (Sandra Rosado, Carlos Augusto Rosado – e a esposa deste, Rosalba Ciarlini – Fafá Rosado, Betinho Rosado). E a nova geração já se apresenta como Larissa Rosado (filha de Sandra e Laíre).

EMERGENTES – Existem ainda famílias de menor porte político, ou que dominam há menos tempo, mas que têm considerável força, seja em aspectos específicos do poder, seja em regiões.

FARIA – Tendo sido quase nomeado governador, Osmundo Faria conseguiu fazer do filho Robinson deputado estadual ainda muito jovem. A partir daí, Robinson ganhou prestígio e tornou-se presidente da Assembléia por duas legislaturas seguidas. Agora é vice-governador e reelegeu o filho, Fábio Faria, como deputado federal.

FARIA – Wilma deixou de ser Maia para tornar-se Faria, pois seu bisavô era irmão do ex-governador Juvenal Lamartine de Faria. Ela auto-denominou-se nova força e “terceira via” depois de exercer a Prefeitura de Natal por três vezes e o governo do Estado por duas vezes. Com isso, fez a filha Márcia Maia deputada estadual e o filho, Lauro Maia, suplente de deputado estadual.

SOUZA – Senador populista, Carlos Alberto de Souza marcou época na política popular e deixou uma herdeira empresarial (TV Ponta Negra) e política, Micarla de Sousa, que se elegeu deputada e em 2008, prefeita de Natal. Hoje, Micarla quer fazer seu próprio grupo familiar e elegeu o marido, Miguel Weber, deputado estadual e a irmã Rosy de Sousa suplente de deputada federal.

FERREIRA DE SOUZA – Núcleo familiar-político do atual governador do Estado, Iberê Ferreira de Souza, que conta com o deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza e com a vice-prefeita de Currais Novos, Milena Ferreira. O pai de Iberê, Odorico, foi prefeito de Santa Cruz, e o tio José, foi deputado federal.

OUTRAS – Há famílias que detém poder político, mas restrito a uma região ou limita-se a poucos membros. É o caso dos ARRUDA (Leonardo Arruda já foi deputado estadual e hoje a filha Júlia é vereadora em Natal); dos REGO (Getúlio é deputado estadual e o filho Leonardo, prefeito de Pau dos Ferros). Duas famílias que já detiveram considerável poder no Estado não entram na lista atuais em por nenhum membro deter cargo eletivo de importância: Os Melo (Geraldo já foi governador e senador), os Frei¬re (Fernando já foi governador e Jessé, deputado federal) e os Mariz (Dinarte, governador e seu filho, Wan-derley, deputado federal).

Turma de História em São Paulo do Potengi




Boa sorte para vocês!

domingo, 19 de setembro de 2010

Banca da turma de História em São Paulo do Potengi

















PROFESSOR ORIENTADOR: Francisco Alves Galvão Neto - TITULAÇÃO: Especialista em História e Educação

PROFESSOR CONVIDADO: Fábio Daniel Pereira Marinho -TITULAÇÃO: Mestre em Geografia

PROFESSOR CONVIDADO: Antônio Sérgio Medeiros da Silveira -TITULAÇÃO: Especialista em História

PROFESSOR CONVIDADO: Emmanuel do Nazareno da Silva Alves - TITULAÇÃO: Especialista em Educação

PROFESSORA CONVIDADA: Maria Lúcia Silva Galvão - TITULAÇÃO: Especialista em Educação, Gestão esducacional e Literatura Brasileira


Trabalhos dos alunos:

Paulo César do Nascimento - O aprendiz na história: o contexto do programa Agente Jovem em Riachuelo/RN

Jean Fernandes dos Santos - As fontes e o ensino de História

Danielle Gomes de Andrade Lima - História local, memória: a história de Ceará-Mirim contada a partir de seu patrimônio arquitetônico (1840 a 1888)

Maria Silene de Paula - A mulher brasileira e voto

Carlos Eduardo Vitorino de Azevedo - A abolição e os problemas dos negros no Brasil

Maria Anelise Ribeiro de Azevedo - Revolução cultural: a mulher na década de 1960 e 1970

Joana D’arc Rodrigues da Silva - A participação da mulher no mercado de trabalho no início do século XXI

Edilson Ribeiro Pimentel - A questão agrária em São Paulo do Potengi/RN: o processo de formação dos assentamentos rurais

Manoel Márcio Tomaz - O menor infrator e a educação

Amanda Basílio da Silva - Perspectivas atuais para o ensino de História

Leandro Lopes da Rocha - A importância do uso de fontes históricas no ensino

Mousinaldo de Macedo Santana - A igreja e a conscientização ecológica: caso da construção de um templo em São Paulo do Potengi/RN

Wendell José dos Santos Pereira- A tortura e o período da ditadura militar no Brasil.

Aula da Saudade em Brejinho













Saudades dessa turma. A História tem um significado especial para eles.

Edgard Morin em Natal





Palestra de Edgard Morin no Campus da UFRN, em Natal. Não poderia faltar com o mestre da complexidade.