sexta-feira, 27 de maio de 2011

HISTÓRIA DA RAÇA NELORE

Por Leopoldo Costa

No site:http://stravaganzastravaganza.blogspot.com/2011/03/historia-da-raca-nelore.html

O Nelore corresponde ao Ongole do subcontinente indiano, porém não é o mesmo, pois o Nelore brasileiro apresenta sinais de mestiçagem com zebuinos do grupo Missore. Rinaldo dos Santos no seu livro 'Nelore: a Vitória Brasileira' de 1994 afirma que na sua formação entraram 14 raças diferentes.
O Ongole indiano teve a sua origem no gado deixado pelas tribos Arianas quando invadiram a região. A semelhança do Ongole com a raça Bhagnari do norte da Índia e com a Gaolao de Madhya Predesh e outras que também têm a cor branco-acinzentada, explica-se por que estas regiões se incluem no caminho percorrido pelas tribos Arianas quando atravessaram a Índia no sentido nordeste a sudeste, em torno de 5000 anos a.C.


O nome Nelore adveio por que antigamente o 'taluk' (divisão distrital) de Ongole pertencia ao distrito de Nellore, mas hoje é parte do distrito de Guntur em Andhra Pradesh.
O Ongole veio a se desenvolver nesta região sendo através dos tempos melhorado por seleção natural, direcionado para se obter bons animais para a lida agrícola.


Os melhores Ongole da Índia são encontrados numa área limitada pelos rios Gundalakama e Alluru nos 'taluks' de Ongole e Kandukur, como também nas cidades às margens do rio Musi: Karumanchi, Nidamanur, Pondur, Jayavaram, Tungtoor e Karvadi.

No Brasil


Em 1868 um navio cargueiro inglês na sua viagem de volta da Índia para a Inglaterra vendeu um casal de Ongole em Salvador. Foi o primeiro contato do Brasil com a raça.
Em 1874, o barão do Paraná, Henrique Hermeto Carneiro Leão (1847-1916) importou um touro e uma vaca da raça Ongole do jardim zoológico de Londres e fez outra aquisição da mesma raça em 1877.
Em 1878 Manuel Ubelhart Lemgruber importou um casal de animais da raça do jardim zoológico de Hamburgo (Alemanha).
A raça inicialmente não foi prestigiada pelos criadores e importadores de zebuínos do Triângulo Mineiro. Dizem alguns que é devido os animais terem as orelhas curtas, semelhantes com as raças européias. Expandiu primeiramente nos estados do Rio de Janeiro e Bahia e só em 1875 os primeiros animais chegaram em Uberaba.
Em 1930 Ravísio Lemos importou diretamente da Índia um lote.
Em 1960 foi importado um lote de 20 animais, Em 1962 um lote de 84 animais foi importado da Índia (transportados pelo navio 'Cora') depois de obtido uma autorização especial do presidente João Goulart (1919-1976), que era também um criador de gado no Rio Grande do Sul e Uruguai. Vieram bons animais da região limitada pelos rios Gundalakama e Alluru e dos vales do rio Musi.
Estas últimas importações foram de grande valia para a estabilização definitiva da raça, que hoje representa dois terços do rebanho brasileiro.


O livro de registro genealógico da raça Nelore foi criado em 1938 na 'Associação Brasileira de Criadores de Zebu', como também estabelecido e reconhecido o padrão da raça.
Em 1969 foi criado o livro de registro genealógico separado para o Nelore Mocho. Em 1999 foi abolido esta distinção e os Nelore foram unificados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário