sábado, 21 de maio de 2011

É possível para os Professores fazer uma greve?

Imagine que a categoria dos rodoviários (Motoristas de ônibus) faça uma greve de uma semana. Quando eles terminam a greve têm que trabalhar a semana as horas paradas?

E se os médicos pararem por um mês? Será que eles teriam que repor os atendimentos que não foram feitos?

Pensem também em uma greve de técnicos mecânicos que trabalham em uma plataforma ou em um pelotão de soldados. Eles precisam repor as horas que não trabalharam?

Então por que os professores são obrigados a repor as aulas que não foram trabalhadas durante uma greve?

Sem dúvida, o aluno tem direito a 200 dias letivos, 800 horas aulas anuais. Entretanto, se a greve é legal, não existe obrigação de repor o trabalho não realizado, pois isso significaria perder o direito de greve.

Então como seria garantido o direito do aluno ter suas aulas repostas?

Hora extra! Isso mesmo: Hora Extra.

Hora extra seria a única garantia para a legalidade da greve.

O Professor precisa garantir também seu direito de greve. Que direito de greve é esse se teremos que repor as horas paradas? Que outra categoria repõe as horas não trabalhadas em uma greve?

Vamos lutar por esse direito. Que isonomia é essa garantida pela Constituição Federal?

Se você concorda, repasse essa mensagem para outras pessoas.

Um comentário:

  1. Com a greve, em Fortaleza, tiro um tempinho,
    faço um passeio internáutico, tenho uma grata surpresa: encontro meu querido amigo, "sumido", Francisco Galvão!

    Oi, Galvão,menino, sua conterrânea vai ser mesmo
    a nossa "salvação". Menina corajosa. Disse tudo que temos engasgado.Já tá no Faustão,Fantástico!
    Já estou mais desasnada, faço algumas peraltices, por aqui. Criei até um blog: Da Cadeirinha de Arruar. Parece, está agradando...
    Veja lá. Acredite: procurando Tamatanduba, cai aqui, na História...
    Boa e produtiva semana.
    Beijos nas Lúcias, crianças e você
    P.S. meu retratinho já tá aí, no painel

    ResponderExcluir