segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Geografia do RN

Estado do Rio Grande do Norte
Limita-se ao norte e a leste com o oceano Atlântico, numa extensão litorânea de 410 km, ao sul com a Paraíba; e a oeste com o Ceará. Localiza-se no extremo nordeste do território brasileiro, o Rio Grande do Norte ocupa área de 53.306,8 km2.  O seu relevo apresenta extensão de planalto ao norte, terras baixas contornando o planalto a leste, norte e oeste e maciços isolados nas regiões sul e oeste. Sete zonas distintas podem ser identificadas no Estado: Salineira, Litoral, Agreste, Centro-Norte, Seridó, Chapada do Apodi e Serrana. A maior parte do território do Estado está incluída no Polígono das Secas, região delimitada pelo Governo Federal em 1951, com o objetivo de combater as secas no Nordeste e promover o desenvolvimento econômico e social da região.
O clima predominante é o tropical semi-árido, exceto na costa litorânea oriental e regiões de relevo mais elevado no interior, onde a umidade é alta e as temperaturas médias são de 20ºC. No interior, as médias térmicas ficam em torno de 27ºC, com pequenas variações ao longo do ano e chuvas escassas, cujo volume não ultrapassa 800 mm ao ano. As precipitações no litoral chegam a alcançar 1.000 a 1.500 mm por ano, sendo mais intensas nos meses de março e junho. As temperaturas mais quentes costumam ser registradas no mês de fevereiro.
Grande parte dos rios da bacia hidrográfica do Estado é temporária, em virtude da escassez de chuvas. Nas regiões do Agreste e do Litoral, no entanto, encontram-se rios perenes, que beneficiam as regiões por eles cortadas. Destacam-se entre os mais importantes do Estado, os rios Mossoró, Apodi Assu, Piranhas, Potengi, Trairi, Jundiaí, Jacu, Seridó e Curimataú.
A população do Estado do Rio Grande do Norte é de 2.634.945 habitantes, distribuídos em 152 municípios. A cidade mais populosa é Natal, capital do Estado, seguida por Mossoró, Parnamirim e Ceará-Mirim. A população urbana corresponde a aproximadamente 70% e na zona rural representam cerca de 30% da população total. A densidade demográfica do Estado é de 49.43 habitantes por km2. As mulheres representam 51%, enquanto os homens respondem por 49% . O índice de mortalidade no Estado é de 4,1 por mil e a taxa de mortalidade infantil é de 83,9 por mil nascidos vivos. A faixa etária de 0 a 14 anos de idade representa 37%, entre 15 e 59 anos, corresponde a 54% e acima de 60 anos, não passa de 8,3% do total de habitantes.

A agropecuária e as atividades de mineração são a base da economia do Estado do Rio Grande do Norte. Na agricultura destaca-se a produção de abacaxi, cana-de-açúcar, feijão, milho, mandioca, coco-da-baía e castanha-de-caju. A pecuária inclui rebanhos bovinos e a criação de suínos e ovinos. As riquezas minerais representam o potencial mais significativo no campo dos recursos naturais disponíveis. Os minerais identificados e explorados, encontram-se reservas de xilita (minério de tungstênio), gesso ou gipsita, calcário, mármore, monazita e berilo. A riqueza das salinas tornou a extração do sal marinho um dos sustentáculos da economia da região. As reservas de petróleo permitiram um volume de exploração de 4,5 milhões de m3 em 1992. No setor industrial destaca-se a produção de cerâmica, bem como a indústria têxtil e de confecções. O litoral atlântico oferece ainda excelentes condições para a pesca, largamente praticada na região, constituindo-se importante fonte de renda para parcela considerável da população.

FONTE (Texto parcial):
http://www.vestibular1.com.br/revisoes/geografia/estados/rio_grande_do_norte.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário