quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Geração de empregos em 2013 no RN é metade de 2012 e perde para 2011

Tabela FecomercioO alerta que vem sendo feito há cerca de três meses pelo presidente do Sistema Fecomércio RN, Marcelo Queiroz, acerca da dificuldade cada vez maior de geração de novas vagas no estado e, em particular, no setor de Comércio e Serviços, ganhou tons ainda mais fortes com os números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho (Caged), divulgados nesta quarta, 21.08.
De acordo com os dados, em julho, o setor representado pela Fecomércio contabilizou um saldo positivo de 387 empregos com carteira assinada, um número bem distante dos 1.134 novos postos contabilizados no mesmo mês de 2012.
Quando comparados o acumulado nos dois anos, enquanto de janeiro a julho de 2012, o setor de Comércio e Serviços emplacou um saldo positivo de 6.990 novas vagas, este ano foram 3.563.
“Eu venho dizendo que estamos no limite da geração de empregos e precisamos estimular o setor produtivo e as atividades que são fortes na nossa economia. O setor de Turismo, por exemplo, precisa de mais atenção. É preciso, também, estimular novos investimentos”, afirma Marcelo Queiroz.
O presidente da Fecomércio RN também comenta a visão do “pleno emprego”, que vem sendo apontada por alguns economistas como um dos motivos da queda no ritmo de abertura de novas vagas. “Se considerarmos um percentual de desemprego na casa dos 5% sobre a População Economicamente Ativa do Rio Grande do Norte, que é de cerca de 1,7 milhão de pessoas, temos aproximadamente 85 mil pessoas ainda fora do mercado de trabalho. Mesmo descontando aqueles que ainda precisam se qualificar melhor e os que não estão em busca de emprego neste momento, ainda temos um contingente razoável de pessoas no mercado, precisando de emprego e de ter uma renda. É para elas que precisamos seguir abrindo vagas”, diz.
 
FONTE:  http://blogdobg.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário