quarta-feira, 30 de maio de 2012

Padre Leôncio - Fez história em Pedro Velho-RN



 
O Padre Leôncio Fernandes foi um personagem que contribuiu para a história do Município de Pedro Velho-RN. Ele contribuiu com a construção e conservação das igrejas católicas de São Francisco de Assis e de Nossa Senhora da Guia em no Distrito de Carnaúba. Ainda existem várias referências a seu nome na comunidade de Carnaúba como o nome da Escola Municipal e um Centro Social ao lado da igreja matriz de Pedro Velho que recebe o seu nome.
Biografia do Padre Leôncio Fernandes da Costa
Padre Leôncio Fernandes da Costa nasceu no dia 18 de junho de 1869, no sítio Carnaúba de Cuitezeiras, pertencente ao município de Canguaretama-RN. Filho do tenente Antônio Freire Fernandes da Costa e dona Cecília Fernandes da Costa. Foi aluno do padre João de Medeiros na antiga Cuitezeiras e por incentivo do mesmo em 1895, foi estudar no seminário em João Pessoa capital da Paraíba.
 Ordenou-se no dia 01 de novembro de 1901. Dom Adauto de Miranda Henrique, bispo da Paraíba e do Rio Grande do Norte, nomeou-o vigário de Pau dos Ferros em março de 1902, permanecendo até agosto de 1904. Segundo seu Alcides de Carnaúba, Pedro Velho-RN, a sua chegada neste município foi motivo de uma grande festa acompanhada de uma grande procissão.
Por motivo de saúde e a conselho médico teve que deixar a paróquia e voltar para Vila Nova, pois era necessário um bom repouso. A viagem de volta foi feita cavalgada em burros e em outros animais que durou vários dias.
  Em agosto de 1904, chegava de Pau dos Ferros o mais ilustre filho de Carnaúba que foi recebido por todos os conterrâneos com uma festa e uma procissão até a igreja de Nossa Senhora da Guia e em seguida celebrava a sua primeira missa nesta capela.
Na medida em que ele ia se refazendo, desejava realizar algumas coisas em seu distrito, no entanto, procurou por em prática todo o seu pensamento que o acalentava desde sua doença. Sua primeira preocupação era demolir as paredes de taipa da igreja da capela de Nossa Senhora da Guia, que na sua opinião era muito pequena e pouco consistente e no seu lugar construir uma capela que melhor se prestasse ao culto religioso.
  Um ano após foram demolidas as paredes de taipa da ermida para que uma nova surgisse. Para isto, padre Leôncio já tinha os tijolos e toda a madeira que era preciso. Contando com ajuda dos seus conterrâneos deu inícios aos trabalhos de reconstrução da igreja. Em março de 1908, foi inaugurada a Capela de Nossa Senhora da Guia e para que melhor ficasse assinalado este acontecimento padre Leôncio fizera a aquisição de uma imagem de São José, que seria benta e colocada ao lado da padroeira. No dia 03 de outubro de 1918, em visita pastoral o Excelentíssimo Dom Antonio Cabral, bispo de Natal encarregou padre Leôncio de construir a futura Igreja Matriz em Vila Nova de Pedro Velho.
O seu primeiro ato foi fazer uma grande reforma na antiga capela era demasiadamente pequena por um tempo vasto e de arquitetura bela como vê pela torre construída com muita arte.
 
Aos 11 dias de mês de fevereiro de 1922, o então bispo de Natal, criou a Paróquia de São Francisco de Assis de Vila Nova e nomeou Padre Leôncio como o seu vigário. Ao assumir a administração da Igreja Matriz e como filho da terra saudou os seus conterrâneos dizendo que para ele era um motivo de grande satisfação pregar a palavra de Deus e conduzir o seu rebanho ao conforto espiritual e solicitou a todos o compromisso com a igreja e ajuda necessária para a mesma.

 
Corajosamente apelou para todos os paroquianos, grandes e pequenos, e com vontade férrea realizar o seu sonho que era restaurar a imagem do Santo Padroeiro São Francisco de Assis. Durante a sua permanência como vigário realizou várias reformas na Igreja Matriz embelezando-a cada vez mais.
No decurso dos trabalhos dizia ele que fez grandes sacrifícios como pedir auxílios de pessoas dedicadas e também muitos injustos e ingratos que lhe fizeram experimentar várias contrariedades.

  Em 1934, solicitou ao bispo Dom Marcolino Dantas o seu afastamento da paróquia por motivo de saúde que se agravava. Retirando-se para sua residência em Carnaúba para melhor se refazer. Mas não deixou de trabalhar. Em 1943, reformava por completo a capela de Nossa Senhora da Guia. No ano de 1948, preparou todos os festejos solenes para comemorar o dia 15 de agosto, dia da padroeira e, no dia cinco do referido mês celebrava ele sua ultima missa. Quatro dias após, isto é 9 de agosto falecia aos 79 anos de idade apesar de muito novo ter sido desenganado pelos médicos, pois era cardíaco. O seu velório comoveu toda comunidade de Pedro velho. Segundo seu Alcides, sobrinho de Padre Leôncio várias autoridades eclesiásticas compareceram ao seu sepultamento.
O seu corpo encontra-se sepultado no centro da nave única da igreja de Nossa senhora da guia em Carnaúba. Hoje Carnaúba do Padre.
A comunidade de Carnaúba e a população de Pedro Velho perdiam o mais ilustre dos seus filhos.
Padre Leôncio parecia conhecer pelo nome quase todos os paroquianos, tinha um riso acolhedor para todos que os procuravam. Foi sem sombra de dúvida um exemplo de vida e dedicação. Cumpriu rigorosamente a sua missão de sacerdote servindo a Deus e aos seus paroquianos. Mesmo doente jamais deixou de passar um só dia sem celebrar a Santa Missa.
Partiu deixando a todos nós um atestado de fé e brasilidade.
Entrevista concedida pelo senhor Alcides Fernandes da Costa ao professor Carlão em abril de 1989.

Nenhum comentário:

Postar um comentário